O IPPPI- Associação tem como objetivo principal apoiar e defender a pessoa idosa.

 

São seus fins:

 

Intervir, prioritariamente e de forma organizada, no campo da solidariedade, promovendo e desenvolvendo iniciativas de carácter social, formativas e informativas entre outras, de apoio social e defesa dos direitos das pessoas idosas.

 

Promover contactos e ligações com entidades, públicas ou privadas, que prossigam idênticos objectivos e fins, com possibilidade de efectuar acordos de cooperação. Podem, ainda, fazer parte do IPPPI, federações, confederações, ou outras Instituições.

 

Cooperar com entidades públicas ou privadas na definição de uma política na proteção à pessoa idosa.

 

Colaborar com instituições congéneres estrangeiras.

Para realização dos seus objetivos, desenvolverá ações, designadamente:

 

 

Sensibilizar a opinião pública para os problemas de abandono, desrespeito e maus tratos da pessoa idosa, com campanhas de informação e sensibilização.

 

Sensibilizar a população em geral, com vista á consciencialização da realidade portuguesa, do envelhecimento da população portuguesa com dependência, nos próximos anos.

 

Promover acções de formação e informação sobre a forma como a sociedade representa os seus idosos, e os comportamentos que são desenvolvidos a partir dessa representação.

 

Cooperar com as redes familiares, de vizinhança e institucionais, públicas ou privadas, na deteção de situações de risco ao nível dos direitos das pessoas idosas.

 

Apoiar e defender os direitos da pessoa idosa exercidos em qualquer contexto desde que a pessoa individual, familiar, instituição pública ou privada sinalize a necessidade.

 

Lançar um serviço de voluntariado de apoio aos fins da Associação.

 

Promover o voluntariado e apoiar através de formação a aquisição e/ou desenvolvimento de competências para o desenvolvimento da sua missão.

 

Elaborar pareceres e outras tomadas de posição sobre aspetos de política geral, relativos à promoção dos direitos do idoso.

 

Desenvolver outras atividades e iniciativas que se mostrem necessárias ao nível da promoção e proteção dos direitos nomeadamente através das denúncias institucionais e representação nos tribunais.

O IPPPI personifica o Apoio Social como sendo o apoio à integração social e comunitária através de iniciativas de acompanhamento social.

 

 

Para melhor prossecução dos seus objetivos, o IPPPI pode abrir ou extinguir delegações ou representações noutros locais, cabendo à Assembleia Geral a aprovação da respetiva proposta, a elaborar pela Direção.

 

A organização e funcionamento das diferentes delegações ou representações regionais a criar e das áreas de atividades a desenvolver, constarão de Regulamentos Internos, elaborados e aprovados pelos órgãos competentes.

 

As delegações ou representações regionais agrupam os sócios das respetivas áreas geográficas, competindo-lhes, de acordo com a orientação da Direção, adequar os programas do Instituto às suas regiões e criar atividades próprias.

 

Sempre que a sua importância o justifique, poderão os sócios das delegações ou representações regionais, com funções de coordenação e execução. Na respetiva área geográfica, criar direções com competências semelhantes às da Direção do IPPPI.

O Projecto

 

O IPPPI é constituído a partir de uma ideia generosa nascida da força da sociedade civil.

Numa sociedade teoricamente mais global e integradora, percebe-se que na realidade, no terreno, a distância entre as pessoas aumentou. As redes familiares e sociais (vizinhos, amigos) são mais virtuais do que reais, empurrando para a solidão, para o sofrimento social e porque não dizê-lo, para várias de formas de crueldade, quem está mais frágil – a Pessoa Idosa.

Os atuais dinamizadores da criação do IPPPI, cujas experiências profissionais e vivências pessoais os fazem deparar diariamente com esta realidade, querem dizer – BASTA!

Basta de empurrarem as pessoas idosas para fora dos hospitais sem se preocuparem com a sua a vida após acontecimento de agudização de saúde; não podemos continuar a assistir passivamente às pessoas idosas a ficarem sem casa quando integram um equipamento apenas para se reabilitarem; não podemos aceitar a atitude dos profissionais que não cumprem com o seu dever de informação e acompanhamento, apenas porque os poderes instituídos lhes permitem esta postura; não podemos pactuar com a desvalorização da pessoa idosa, ignorando-se a sua história de vida, apenas porque está mais lenta e menos ágil!

O IPPPI é um projeto inovador, completamente aberto a toda a comunidade e intergeracional, onde se irá congregar uma diversidade de conhecimentos adquiridos ao longo da vida, organizando-se em rede e em associativismo para construir uma voz forte e mobilizadora de forma a ser uma Instituição capaz de chegar onde quer se que se encontre uma pessoa idosa que se sinta esquecida pelo “sistema” ou pela sua rede social (família, amigos, vizinhos, etc).